Salesianos Cooperadores – ASC


salesianas-familia-salesiana-asc-2
salesianas-familia-salesiana-asc

Associação dos Cooperadores Salesianos

ORIGENS

S. João Bosco pensou, logo desde o início, em associar leigos e religiosos à sua missão juvenil. Trata-se de uma “história” que remonta aos primeiros passos da obra salesiana em 1841, quando Dom Bosco, jovem sacerdote, começou a recolher jovens pobres (MB XI, 84). O que ele, de facto, pretendia, era fundar uma sociedade cujos membros partilhassem o mesmo projecto, uns como membros externos (leigos vivendo no mundo) e outros como membros internos (religiosos consagrados vivendo em comunidade). Depois de muitas tentativas para realizar o projecto inicial, fundou dois ramos distintos: os salesianos consagrados (1859) e a Associação dos Cooperadores Salesianos (1876), aos quais deu um regulamento específico com um título já por si elucidativo: Cooperadores Salesianos, ou seja, um modo prático de fazer o bem na defesa dos bons costumes e ao serviço da sociedade civil.

ETAPAS PRINCIPAIS DA ASSOCIAÇÃO

1850-52 – Primeiro agrupamento oficial.
9 de Maio de 1876 – Pio IX aprova a “União dos Cooperadores Salesianos”, com personalidade jurídica autónoma.
1971-85 – É o período da renovação conciliar em que se fez uma reflexão intensa e profunda sobre os cooperadores salesianos, sobretudo no Capítulo Geral Especial do pós-Concílio (1970-71). A Associação inicia um trabalho de renovação radical. É redigido um novo Regulamento, baseado no que fora escrito por Dom Bosco e actualizado face às novas exigências.
9 de Maio de 1986 – Aprovação pontifícia do novo Regulamento de Vida Apostólica.

IDENTIDADE E MISSÃO

O cooperador salesiano responde a uma verdadeira “vocação”, aberta a toda e qualquer condição cultural e social. É um verdadeiro salesiano no mundo. Vive a sua fé inspirando-se no projecto apostólico de Dom Bosco e participando na mesma missão juvenil e popular. Os campos de empenhamento apostólico e de santidade evangélica são: a família, as estruturas civis, culturais, socio-políticas e económicas; as estruturas eclesiais, enquadradas nas obras dos salesianos e salesianas, e outras sob formas diversas. (Do Regulamento de Vida Apostólica (RVA)

ORGANIZAÇÃO

O núcleo fundamental é o centro local que reúne cooperadores de uma determinada zona. Normalmente é constituído junto de uma obra dirigida por salesianos ou salesianas.
O responsável – um cooperador, eleito como coordenador – é ajudado pelo seu Conselho.
Ao delegado/a (salesiano ou salesiana) compete a formação espiritual e é garante de fidelidade ao carisma.
A mesma estrutura organizativa é constituída a nível provincial, nacional e mundial.
O Reitor-Mor é o superior de toda a Associação.
O lema e a sigla são respectivamente: “Da mihi animas coetera tolle” e ASC (Associação de Salesianos Cooperadores).

Ver: http://www.familia.salesianos.pt/grupos/salesianos-cooperadores